Blog

Dr. Davidson Alba

Aneurisma: uma doença silenciosa

quarta-feira, 25 de março de 2020

Aneurisma: uma doença silenciosa

Aneurisma cerebral é a dilatação anormal de uma artéria que irriga o cérebro, geralmente localizado nos pontos em que ela se bifurca (mais frágeis). Pode se romper e causar uma hemorragia cerebral ou permanecer sem estourar durante toda a vida. Os aneurismas também podem ocorrer em qualquer artéria do corpo, como as de coração, rim e abdômen. Os do tipo cerebral e da aorta torácica e abdominal apresentam altas taxas de mortalidade.

O aneurisma surge pelo enfraquecimento ou defeito da parede arterial. A pessoa pode nascer com o problema ou adquiri-lo com o passar do tempo, a partir de fatores como hipertensão (não controlada com medicamentos), tabagismo ou traumatismo (golpes ou ferimentos penetrantes na cabeça).

No cérebro, surgem sinais geralmente quando há ruptura. Em alguns casos, ocorre um sangramento inicial no cérebro, acompanhado de dor de cabeça súbita e intensa, antes do rompimento definitivo. Esta é a hora de procurar uma emergência. Em outras situações, quando o aneurisma se rompe totalmente, dependendo da intensidade do sangramento, a pessoa tem desde dor de cabeça até perda dos sentidos e coma.

 

A prevenção é a melhor saída!

É importante realizar uma avaliação, o mais cedo possível, em pessoas que tenham dois ou mais familiares com histórico de aneurisma rompido, além disso, é necessário controlar a hipertensão arterial, não fumar, beber em excesso ou usar drogas.

O risco é menor para quem tem apenas um caso familiar.

O aneurisma é mais frequente entre mulheres e o risco de rompimento aumenta com a idade (a média é aos 55 anos).

Os dois principais fatores de risco para formação e/ou ruptura de um aneurisma são o fumo e a pressão alta não controlada. Doenças que aumentam o risco de fragilidade das artérias cerebrais, como as do colágeno (síndromes de Marfan e de Ehler Danlos) e a renal policística, também influenciam.

Tratamento:

Quando o paciente é diagnosticado com aneurisma cerebral, a indicação cirúrgica precisa levar em conta seu tamanho (geralmente indica-se cirurgia para aneurisma iguais ou maiores que 5 milímetros) e as condições clínicas do paciente, uma vez que o risco da cirurgia deve ser menor do que o oferecido pela história natural da evolução da doença.

O procedimento pode ser realizado de forma aberta ou por via endovascular. Na primeira alternativa, é aberta uma janelinha no crânio para que se possa ter acesso ao cérebro e, com o uso de instrumentos específicos, a porção mais estreita do aneurisma é fechada por um clipe metálico. Pela via endovascular, um cateter é introduzido pela virilha e guiado até a região do aneurisma. O cateter conduz pequenas molas delicadas, que se enrolam no interior do aneurisma e formam um coágulo que impede o sangramento.

 

Esteja atento!

Dor forte de cabeça, que surge repentinamente, como se você tivesse levado uma pancada, seguida de enjoos e vômitos, indica a necessidade urgente de atendimento médico-hospitalar;

Informa sobre a ocorrência de casos de aneurisma em sua família, principalmente se for um irmão gêmeo ou houver dois ou mais familiares com o problema. Isso ajuda a organizar um planejamento preventivo de exames.

 

Fonte: Brasil AVC
Texto completo: http://www.redebrasilavc.org.br/para-pacientes-e-falimiares/o-que-e-aneurisma-cerebral/


Ao continuar navegando em nosso site, você concorda com a nossa Política de Privacidade e com os nossos Termos de Serviço