Blog

Dr. Davidson Alba

Espaço Personalità: Davidson Alba

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2020

Espaço Personalità: Davidson Alba

Um prodígio. O adjetivo utilizado para definirmos muitos dos grandes gênios da humanidade não é nenhum exagero para se dirigir ao neurocirurgião Davidson Alba. Sempre muito curioso sobre assuntos ligados à ciência, desde os tempos de estudante do Colégio Militar, o santa-mariense começou cedo a faculdade, por meio do programa de ingresso ao ensino superior (PEIS) iniciativa proporcionada pela Universidade Federal de Santa Maria.

No fim de 2008, já formado em Medicina, Davidson deixou sua terra natal para estudar Neurocirurgia no Hospital São José, ligado à Santa Casa de Porto Alegre.

- Terminei minha especialização no final de 2013. Sempre fui fascinado por tecnologia de ponta e áreas que prezam pela ciência. O interesse pela Medicina surgiu naturalmente nesse contexto, já pendendo para a cirurgia. Dentro das especialidades cirúrgicas, a Neurocirurgia surgiu como a opção quando vi, na sétima série, o sistema nervoso - lembra o médico.

Juntamente com o interesse pelos mistérios do cérebro, um momento delicado na vida dele foi decisivo para sua escolha pela neurocirurgia. No seu primeiro dia de férias da sétima para a oitava série, em dezembro de 1998, ele foi atropelado e acometido por um traumatismo craniano grave. O responsável pelo seu atendimento foi o Dr. Enedir Teixeira, um expoente da área e crucial para sua recuperação. Tal fato deu início a uma admiração e, depois, a uma forte amizade.

- Meu tratamento envolveu onze dias de terapia intensiva, com pelo menos dois momentos de muita gravidade. Dr. Enedir foi um exemplo durante a faculdade, pois o acompanhava desde o segundo ano. Nas férias da residência, estivemos juntos em cirurgia no Hospital de Caridade sempre que possível, e ele se tornou um grande parceiro de cirurgias e de consultório após minha especialização. Depois do seu convite para retornar a cidade, trabalhamos juntos por quase seis anos, até o primeiro trimestre de 2019 conta Davidson, que, após a aposentadoria de seu mestre, assumiu um dos consultórios mais tradicionais de neurocirurgia da região.

Apesar da responsabilidade, ele encara esse desafio de dar sequência ao trabalho de um dos mais importantes médicos do Brasil como algo natural, já que a parceria com o Dr. Enedir foi parte importante de sua formação, tanto acadêmica como profissional.

- Assumir a responsabilidade de seguir um legado muito nobre, acabou por se fazer com certa naturalidade, pois, nesses muitos anos de convívio, pude aprender inúmeras lições com a experiência do Dr. Enedir. Além do mais, ele também fez sua formação no São José, então Instituto de Neurocirurgia, em 1965, com o Dr. Elyseu Paglioli, um dos dois primeiros neurocirurgiões da história do país e sogro do Dr. Nelson Ferreira, meu chefe de residência. Tivemos muita convergência na tomada de decisões, durante nossa prática profissional conjunta, já que o professor sempre foi um entusiasta das inovações neurocirúrgicas, muitas vezes, protagonizando-as por aqui - afirma.

A rotina de trabalho, com carga horária severa, somadas às situações de urgência e emergência que surgem pelo caminho, é cansativa, mas sempre recompensadora para Davidson

- Justamente pelas dificuldades inerentes à rotina e pelo desafio de operar em sítios cirúrgicos complexos, o prazer de testemunhar uma cura, ou uma recuperação bem-sucedida, sabendo que se pode fazer parte disso, é muito especial - emociona-se.

Segundo Davidson, a Neurocirurgia tem um histórico de proximidade com as novidades tecnológicas, não raro sendo figura central delas: foi uma das especialidades que mais "abraçou" o microscópio cirúrgico, dos anos 60 em diante, e isso permitiu uma revolução positiva na técnica cirúrgica e nos resultados para os pacientes. Os avanços, de acordo com o médico, vêm acontecendo em todo o mundo e, graças ao advento da Internet, é possível acessar os mesmos artigos científicos que os centros de ponta vem estudando. Aliás, estudar é um verbo constante no cotidiano dele.

- É inerente, ao neurocirurgião, pela própria dificuldade do ofício, buscar educação continuada e atualizações durante toda a sua vida profissional. Desde a residência, construir uma rotina de trazer, de onde eu julgasse serem as melhores fontes, aquilo que me permitisse fazer a melhor neurocirurgia possível na nossa realidade. Fruto disso são os pioneirismos na nossa região da cirurgia endoscópica percutânea da coluna lombar, bem como do tratamento cirúrgico para doença de Parkinson, concretizados em 2019, graças a técnicas aprendidas na Alemanha e nos Estados Unidos, respectivamente. Diante dos inequívocos benefícios para os pacientes, é muito gratificante poder ajudá-los no tratamento das doenças neurocirúrgicas do crânio e da coluna vertebral, com aquilo que faça a diferença na vida deles - conclui.

Aos jovens médicos ou aspirantes da neurocirurgia, Dr. Davidson aconselha escolher a área, antes de tudo, pelo apreço e o desejo de tornar a vida de seus pacientes ainda melhor.

- Na minha opinião, é muito importante, na Medicina como um todo, fazer aquilo de que se gosta, que nos motiva, onde há entusiasmo, para se alcançar o bem maior aos pacientes. Como o dia a dia muitas vezes nos expõe a situações não tão agradáveis ou confortáveis, é fundamental estar atuando na sua área de afinidade, para que a carreira não seja maçante, mas sim prazerosa.

 

Por: Bianca Zasso

Società Magazine - Janeiro 2020


Ao continuar navegando em nosso site, você concorda com a nossa Política de Privacidade e com os nossos Termos de Serviço